Posts Tagged ‘Rio de Janeiro

26
out
09

Odisséia

A vereadora de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense do estado do OdisséiaRio de Janeiro, Odisséia foi a terceira entrevistada por Beatriz Grabois, para o Politicando.

Quem é Odisséia?

Professora

Sindicalista

Militante política do PT desde 1896

Vereadora eleita em 2008 que luta pelos direitos das mulheres e excluídos, pelo respeito, dignidade e igualdade.

É capacitada para ocupar cargos públicos, pautando sempre pela ética e transparência.

Vice-Presidente do PT de Campos-RJ.

Membro do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher.

Foi Coordenadora de Educação Regional Norte Fluminense I, durante o governo Odisséia Benedita da Silva, onde teve uma atuação dinâmica e realizadora.

Ocupou cargos como:

Diretora do SEPE-RJ;

Diretora do SEPE-Campos;

Diretora do CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação); e

Presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima.

Em Brasília, foi Assessora Especial da Ministra Nicéia Freire no Ministério Odisséia e BismarckEspecial de Políticas para as Mulheres.

Tanto em Campos como em Brasília, continua pleiteando pelos direitos dos profissionais da educação e pela justiça à mulher e a todas as pessoas como iguais.

É casada e tem três filhos.

ESTRELA


“Bismarck é o nome certo, na hora certa. O PT do Rio precisa de um Presidente como ele”.

 

 

26
out
09

Vladimir Palmeira

O segundo político entrevistado por Beatriz Grabois foi Vladimir VladimirPalmeira.

Vladimir Gracindo Soares Palmeira é um político brasileiro.

Sua família estabeleceu-se no Rio de Janeiro quando tinha seis anos de idade e já no colégio, começou a participar da política estudantil, sendo diretor de uma revista dos alunos, chamada “A Seiva” e fundador do grêmio estudantil, o Centro Cívico Olavo Bilac, participando dos primeiros congressos estaduais estudantis, como delegado de seu colégio.

Vladimir fez vestibular para Direito e ingressou na Faculdade Nacional de Direito (FND), da então Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de JaneiroVladimir-UNE - 1968 (UFRJ). Havia dois movimentos políticos legais nesta escola, o Movimento de Reforma (Reforma), de esquerda, e a Ação Libertadora Acadêmica (ALA), de direita. Vladimir, que já era de esquerda, filou-se à Reforma, que ganhou as eleições de 1964 – as primeiras diretas no país depois do golpe militar – para o centro acadêmico da Faculdade, um dos mais tradicionais do país, o Centro Acadêmico Cândido de Oliveira (CACO).

A partir daí, Vladimir participou de todas as lutas estudantis: esteve presente nas primeiras manifestações, ainda em 1965 e em 1966 e 1967, representou o CACO, do qual era presidente. Depois, já como presidente da União Metropolitana dos Estudantes (UME), Vladimir liderou as grandes manifestações estudantis do ano de 1968, que culminaram VladimirPalmeira_1968na Passeata dos Cem Mil.

Por defender os ideais da esquerda e da democracia, Vladimir foi preso em 1967, em agosto de 1968 e novamente no Congresso da UNE, em Ibiúna. Em setembro de 1969 saiu da prisão para o exílio. Nos dez anos seguintes morou no México, em Cuba, no Chile e na Bélgica, onde formou-se em Ciências Econômicas, pela Universidade Livre de Bruxelas.

Voltando ao Brasil, foi fundador do Partido dos Trabalhadores (PT), participando, como delegado do Rio, do primeiro encontro nacional do partido. Em 1982 foi candidato ao Senado Federal e, quatro anos depois, elegeu-se deputado federal constituinte.

Vladimir teve um papel de destaque no Congresso Constituinte. Era o responsável do PT pela área econômica, onde conseguiu aprovar pontos como a nacionalização da exploração mineral e o estabelecimento de medidas de defesa da empresa nacional. Vladimir também teve participação ativa ainda em outros debates, sobretudo na defesa da democratização dos meios de comunicação e dos direitos dos aposentados e foi coordenador da Frente Interpartidária em Defesa do Presidencialismo, na votação sobre o sistema de governo em que o presidencialismo triunfou.

Reeleito deputado, em 1990, Vladimir chegou a líder da bancada em 1993, um ano de muitos acontecimentos políticos. O Presidente Fernando Collor de Mello tinha sido afastado e Vladimir foi um dos líderes, no PT, da posição que colocou o partido na oposição ao governo Itamar.

Vladimir não disputou outra eleição parlamentar, por considerar que já havia dado a sua contribuição. Foi Vladimir instado a disputar o governo do Estado do Rio de Janeiro, nas eleições de 1994 e em 1993, ganhou as prévias internas do partido, com mais de 70% dos votos, mas o resultado não foi aceito em função de questões de quorum.

Em 1998, Vladimir foi chamado mais uma vez para disputar o governo. Ganhou a convenção do partido, no Rio de Janeiro, mas a direção nacional fez uma intervenção, para que o PT apoiasse o candidato Anthony Garotinho.

De 1998 até o ano de 2006, Vladimir Palmeira ficou na articulação do Partido dos Trabalhadores.

A conjuntura do estado do Rio de Janeiro fez com que Vladimir fosse o Vladimir e Beatriz Graboiscandidato natural do Partido dos Trabalhadores ao governo, em 2006. Seu nome foi unanimidade no PT e Vladimir foi indicado por aclamação. Vladimir começou nas pesquisas com apenas 1% dos votos mas devido a sua campanha na TV com irreverência, críticas irônicas e pela defesa veemente das políticas de esquerda, inclusive de temas polêmicos distantes da esfera de governador, como aborto e união homoafetiva, bem como críticas a uma suposta forma artificial de fazer política, onde os candidatos costumavam dizer aquilo que o eleitor queria ouvir, e não o que pensava de verdade, subiu de sexto colocado nas pesquisas para quinto. Terminou em 4º lugar, com cerca de 10% dos votos, atrás de Marcelo Crivella, Denise Frossard e Sérgio Cabral.

Em 2007, entrou na disputa para ser o pré-candidato petista à Vladimirprefeitura carioca, concorrendo com Alessandro Molon. Crítico ferrenho de Sérgio Cabral, acabou sendo derrotado em março de 2008.

ESTRELA

“Bismarck. Este é o nome que eu apóio para Presidente do meu PT”.

 

18
out
09

JORNAL BISMARCK PED2009

BISMARCK 384

PAGINA_02PAGINA_03

01
ago
09

RUMO À VITÓRIA

Rumo a Vitória

21
jul
09

Prazos para inscrição de chapas e de nomes para o cargo de Presidente

Prazos para inscrição de chapas e de nomes para o cargo de Presidente:

A inscrição de chapas e de nomes para o cargo de Presidente, bem como a entrega das teses, deverá ser feita perante à Comissão Executiva correspondente, observando-se os seguintes prazos:

· Até 25 de julho de 2009 em nível nacional – cento e vinte dias antes;

· Até 24 de agosto de 2009 em nível estadual – noventa dias antes;

· Até 23 de setembro de 2009 em nível municipal e zonal – sessenta dias antes.

Observadas as demais normas estatutárias pertinentes, poderão votar e ser votados no PED 2009 os filiados ao Partido até o dia 22 de novembro de 2008.

Prazos para transferências:

25 de julho – O(a) filiado(a) que transferiu seu título de eleitor só poderá votar e ser votado no PED de seu novo domicílio eleitoral se tiver solicitado até 25 de julho de 2009 a transferência de sua filiação, por escrito, ao Diretório Municipal de origem (onde está filiado).

Os(as) filiados(as) também poderão solicitar sua transferência, no mesmo prazo através da Comunidade PT (área exclusiva para os(as) filiados(as) do PT na Internet);

Obs: O(a) filiado(a) deverá apresentar o novo título de eleitor ou o comprovante da Justiça Eleitoral de seu pedido de transferência;

25 de agosto O(a) filiado(a) que desejar efetuar transferência de Diretório Zonal dentro do mesmo município deve solicitar até 25 de agosto de 2009 a transferência de sua filiação, por escrito, ao Diretório Municipal.

Os(as) filiados(as) também poderão solicitar sua transferência, no mesmo prazo através da Comunidade PT (área exclusiva para os(as) filiados(as) do PT na Internet);

Obs: O(a) filiado(a) não precisa apresentar o título de eleitor ou o comprovante da Justiça Eleitoral.

DM-PT/RIO – Rua do Carmo, 38 / 705-706 – Centro – Rio de Janeiro – RJ

Tel. (21) 2232-6465 – (21) 8896-4048 / e-mail: secretaria@dmptrio.org.br / Site: http://www.dmptrio.org.br

Luiza / Henrique

Antes de imprimir pense em seu compromisso com o Meio Ambienterumo_a_vitoria

23
maio
09

um partido para todos e todas

UM  PARTIDO PARA TODOS E TODASBISMARCK ALCÂNTARA

“Sonho que se sonha só, é só um sonho,

Sonho que se sonha junto,Torna-se realidade”.

Raul Seixas.

É na referência da frase acima que colocamos o nosso projeto de mudança partidária, que vem sendo construído pelos companheiros dos grupos e correntes internas, Construindo Um Novo Brasil, “Socialismo e Luta”, “Raça e Classe”, “Opção Socialista” e vários outros companheiros e companheiras não identificados como grupos, mas indignados com a atual situação.

Acreditamos de verdade que é possível construir um projeto partidário que reformule todo o PT; não chegamos ao ponto de dizer que o PT/RJ precisa ser refundado como alguns já disseram, pois o PT Fluminense tem ótimos quadros e funciona em várias cidades onde as práticas políticas das últimas gestões estaduais não os impregnaram, mas muito pelo contrário, são vitoriosos e referências para suas populações.

Gostaríamos de estar enaltecendo neste texto as vitórias do partido Bismarckcapitaneadas pela figura da presidência e direção estadual, gostaríamos de poder dizer que o PT/RJ é uma referência para todo o Brasil, que é democrático, faz reuniões, tem planejamento na sua gestão, que todas as correntes têm vez e voz, que sua gestão financeira e administrativa é transparente e que coleciona vitórias eleitorais, que deixam a militância com vontade de bater no peito e dizer: “O PT é de chegada”. Mas não é isso que podemos dizer. Alguns até tentarão “tapar o sol com a peneira” e dizer que está tudo bem, erros e acertos, mas está chegando a hora da verdade.

Seria muito confortável de nossa parte nos aliar com aqueles que deixam o nosso sonho de transformar a sociedade fluminense cada vez mais distante. Porém, temos um sonho muito maior, um sonho de reorganizar a militância petista em um projeto de resgate de nosso partido, um projeto verdadeiramente democrático, ético e transparente.

Essa é a diferença. Não queremos o mais do mesmo, queremos mudanças. BismarckComo se pode falar em mudança, em solucionar problemas, quando se é apoiado pelos responsáveis pela atual situação. Será possível? Basta de dirigir o partido pelos gabinetes com ar condicionado e falar com a militância somente através de e-mail, ou em épocas de eleições aí os mesmos começam a viajar, realizar plenárias reuniões etc. etc. Coitados, pensam que enganam a nossa militância sempre. Basta da falta de reuniões, basta da falta de transparência nos acordos políticos, aos quais a militância só é chamada para bater palmas nas alianças que eles fazem, basta a falta de transparência nas gestões financeiras e administrativas, a falta de formação política, ao esvaziamento dos núcleos, basta aos que nos levaram a esse quadro.

A história não premia os que ficam em cima do muro, só há espaço para dois projetos dentro do PT/RJ, o continuísmo, mesmice e a incompetência ou a mudança radical, não tem meio termo, é se contentar com a atual situação ou marchar com um novo projeto.

23
maio
09

Assuntos Institucionais

Nossa opção já foi feita, marcharemos com outro projeto, marcharemos pelo  PT/RJ forte, ético, com projeto, proposta e participações de todos (as) não iremos nos calar! Para isso propomos iniciar o debate com um projeto, enfocando cinco eixos principais:

ASSUNTOS INSTITUCIONAIS:

A Secretária de Assuntos Institucionais com o Diretório Estadual é para acompanhar e implementar as Políticas Institucional dos Municípios e do Estado, integrando ao debate todo o projeto do PT estadual e nacional. Tornando o debate acessível a toda militância e simpatizantes do partido.

Formação Política:

A Formação Política no PT precisa voltar a ser uma prioridade, necessitamos ter uma estrutura partidária que além de municiar o partido com discussões e contribuições políticas tenha uma linha eficaz de formação de quadros políticos, dando prioridade aos movimentos da juventude, mulheres, LGBT, sindical, igualdade racial, portadores de deficiência, terceira idade, moradia, sociais e quadros gestores.

Propostas:

  • Parcerias institucionais oferecendo cursos formativos à direção e a militância Petista.
  • Formação de Gestores – Escola de formação de gestores – Curso de formação de gestores, ministrados por petistas com experiência em gestão pública e privada, direcionada a militantes que pretendam ou atem como gestores em governos, sindicatos e movimentos sociais de uma maneira em geral.
  • Seminários / Palestras sobre temas em discussão na sociedade tentando garantir posições unitárias no discurso das lideranças do partido.

Administrativo/Financeiro

Não será possível construir uma nova dinâmica interna sem transparência na gestão administrativa e financeira de nosso partido, muito menos daremos as respostas que a sociedade espera, sem primeiro construir uma dinâmica interna transparente.

Vamos implementar uma gestão de transparência e eficiência, precisamos prestar contas a todos que contribuem com o partido e não somente com sua executiva.




agosto 2017
D S T Q Q S S
« nov    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

CENAS DIÁRIAS