Archive Page 2

26
out
09

Chumbinho

Disposição e seriedade. Esse é o lema do vereador aldeense Chumbinho, Chumbinhoque saiu do interior do município e conquistou a confiança de 1.188 cidadãos de São Pedro da Aldeia nas eleições de 2004.

Aos 34 anos, Chumbinho nasceu e foi criado no interior de São Pedro da Aldeia. Até os 10 anos de idade morou na Zona Rural com sua mãe e sete irmãos.

Para poder estudar foi morar na cidade, em casa de parentes e amigos. Enquanto estudava tinha que trabalhar: vendia salgadinhos, camarão e picolé nas praias e no campo do Cruzeiro, no Capão Redondo.

Com a venda de picolé e salgadinhos foi economizando para poder comprar sua primeira bicicleta. Chumbinho trabalhou na feira, foi mascate, estoquista, ajudante de padaria e depois garçom.

Aos dezesseis anos juntou as gorjetas que ganhava como garçom e deu entrada no seu primeiro carro: um fuscão branco, usado.

Seu primeiro emprego com carteira asinada foi de “office boy” na Distribuidora Antártica, onde trabalhou por 10 anos. De contínuo, Chumbinho virou digitador, operador, até chegar a Gerente de Informática.Chumbinho

O início na política

Incentivado por parentes e amigos, Chumbinho concorreu pela primeira vez a um cargo público nas eleições municipais de 2000. A experiência lhe rendeu 271 votos.

Em 2001, foi convidado pelo Prefeito Paulo Lobo para gerenciar a Central de Processamento de Dados da Prefeitura. Técnico em Informática, Chumbinho se orgulha do trabalho de atualização e modernização de todo o sistema da Prefitura, facilitando a vida dos aldeenses.

Quatro anos mais tarde, a tão sonhada vitória surpreendeu: os 1.188 votos deram ao vereador Chumbinho a segunda maior votação da história das eleições municipais da cidade. “Foi uma campanha Chumbinho difícil, mas acreditei e lutei por cada voto”, revela.

Casado e pais de três filhos, Chumbinho cursou até o 3° período da faculdade de Educação Física e vem buscando incentivos para fomentar a atividade esportiva no município.

ESTRELA

Anúncios
26
out
09

Chico D’angelo

Formado pela Faculdade de Medicina de Campos (Rio de Janeiro), o Chicodeputado Chico D’Angelo começou sua trajetória política dividindo seu tempo entre a profissão de médico e a atuação junto a sindicatos e entidades de classe em Niterói e o Rio de Janeiro.

Seu currículo em medicina registra 15 anos de trabalho na Santa Casa do Rio de Janeiro, onde foi presidente da Associação de Médicos Residentes. Aprovado em concurso do Ministério da Saúde em 1984, trabalhou nos hospitais do Andaraí e Ipanema, ambos no Rio de Janeiro, e no Hospital Santa Cruz, em Niterói (RJ).

Em paralelo à sua atuação profissional, Chico D´Angelo tornou-se uma liderança da classe médica. Filiado ao PT desde 1993, é um dos militantes mais destacados na área da saúde do Estado do Rio de Janeiro. Durante três mandatos foi diretor do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro e Chico D'angelosecretário-geral em um quarto mandato. Em Niterói foi diretor do Conselho Regional de Medicina e da Federação Nacional dos Médicos.

No período de 2002 a 2006 Chico D’Angelo aplicou sua experiência em medicina para atuar na saúde pública de Niterói como secretário municipal de Saúde e presidente da Fundação Municipal de Saúde. Sua gestão já é considerada uma das mais bem-sucedidas da história da cidade.

Durante esse período, integrou a Diretoria do Conselho Nacional dos Secretários Municipais de Chico D'angeloSaúde, órgão que representa todas as Secretarias Municipais de Saúde do Brasil. Organizou e presidiu a IV Conferência Municipal de Saúde de Niterói, e ampliou o Programa Médico de Família. No Congresso Nacional buscará utilizar sua experiência como sindicalista, médico e gestor na apresentação de propostas que se convertam em melhorias para a população.ESTRELA

Por que Chico D’angelo apóia Bismarck Alcântara para a presidência do PT – Rio de Janeiro?

“Apóio Bismarck pela sua trajetória política no PT e nas lutas sociais. Precisamos colocar o PT em um novo rumo e por isso, Bismarck Presidente.”

26
out
09

Jorge Dantas

A quinta entrevista da última sexta feira foi o Vereador Jorge Dantas, do Dantas município de Japeri (Rio de Janeiro).

Jorge Dantas iniciou sua trajetória nas comunidades eclesiásticas de base da Igreja Católica e durante sua juventude atuou como presidente de grêmios estudantis.

Presidiu o Partido dos Trabalhadores de Japeri e foi o vereador mais votado do PT  e o terceiro no município. Foi o primeiro parlamentar Portuário do estado do Rio de Janeiro e o único com mandato eletivo do Brasil.

Dantas também foi membro da Direção do Sindicato dos Portuários do Rio de Janeiro;Dantas

Presidente da Associação dos Guardas Portuários do estado do Rio de Janeiro;

Presidente da Associação Nacional dos Guardas Portuários Federais;

Líder da Bancada de Esquerda na Câmara; e Presidente da Comissão de Obras e Transporte da Câmara Municipal de Japeri.

Dantas O vereador Jorge Dantas possui um blog com o qual se relaciona com os moradores de Japeri, buscando uma total interação com seus eleitores.ESTRELA

26
out
09

Lúcia Reis

Lúcia Reis foi uma das entrevistadas por Beatriz Grabois para o Politicando.

Minha militância política começou no período da ditadura militar.

Lucia ReisParticipei da luta pelo fim da ditadura, pela redemocratização do país, pela Anistia, da reorganização do movimento estudantil e da retomada da mobilização da sociedade de forma mais geral.

Ao começar meu curso universitário na UERJ, onde estudei Engenharia Civil e passei a ter contato com uma série de pessoas, movimentos e organizações do campo da esquerda.

Participava das reuniões e das ações do Comitê Brasileiro pela Anistia, como as muitas manifestações de rua pela Anistia e por liberdade de manifestação, expressão e pela redemocratização do país. Ao mesmo tempo em que na minha universidade, e estadual e depois nacionalmente da reconstrução dos centros acadêmicos, diretórios centrais, da UEE e da UNE. Fui das direções do centro acadêmico de engenharia e do DCE da UERJ.Lucia Reis

Fui militante do MEP, participei da construção e legalização com obtenção de registro do PT.

Estive nas manifestações históricas, onde colocamos 1 milhão no Rio de Janeiro na Avenida Presidente Vargas pelas Diretas.

Junto outros estudantes e com apoio da sociedade e parlamentares tentamos impedir a derrubada do prédio da UNE pelo então Presidente Figueiredo.

Participei de forma militante na eleição de candidatos do campo popular e democrático.

Através de concurso público, passei a ser funcionária pública federal, na Lucia ReisUniversidade Federal do Rio de Janeiro, onde trabalho desde fevereiro de 1985, há 24 anos.

Fui da direção do SINTUFRJ, sindicato dos trabalhadores Técnico-administrativos da universidade por dois mandatos – 1996/98 e 1998/2000; da direção estdual da CUT/RJ, mandato de 1997/2000; da direção da CUT Nacional – membro da executiva a partir de agosto de 2000, onde cumpri três mandatos.

Atualmente, sou membro da direção nacional da CUT, eleita no congresso de agosto passado.

Na CUT, participei das muitas campanhas e mobilizações em busca de Lucia Reismudanças para o país e mais particularmente em defesa dos direitos dos trabalhadores. Seja em busca de mudanças, avanços, ampliação da sua organização e capacidade de mobilização seja em torno de uma pauta relativa à defesa do emprego, da ampliação de direitos, por mudanças de política econômica e de distribuição de renda.

ESTRELA

“Com Bismarck, as mulheres terão seu lugar respeitado nas fileiras do PT.”

26
out
09

Marcelo Moraes

Marcelo Moraes. 33 anos, Primeiro suplente do PT na última eleição, tendo Marceloassumido a vaga de vereador no município de Belford Roxo, em março de 2009 em substituição ao Vereador que assumiu a Secretaria de Meio Ambiente do nosso município.

Minha trajetória política começa aos 13 anos, quando pedi ao meu pai para votar no LULA em 1989. Aos 16 anos votei pela primeira vez nas eleições municipais já votando no PT e aos 19 anos, me filiei ao Partido dos Trabalhadores.

Sempre fui ligado as pastorais sociais da Igreja Católica, em especial a PJ (Pastoral da Juventude) onde aprendi vários conceitos e princípios que pratico em minha Marcelo vida política-social desde minha adolescência.

Este ardor da juventude me fez participar ativamente das disputas eleitorais, sejam internas no PT, eleições dos conselhos municipais, conselhos tutelares e, principalmente, a disputa política municipal.

Hoje, tendo cumprido 07 meses de mandato de vereador, conseguimos realizar algumas ações que consideramos importante na construção de uma sociedade mais humana e fraterna, que citamos:

Leis Municipais já APROVADAS: Censos Cultural e de casas de matrizes africanas; Criação do Conselho Municipal de Política de Cultura; Dia Municipal contra o câncer de mama e colo do útero; Dia Municipal contra o câncer de próstata; Programa minha casa, minha vida;Marcelo

Leis Municipais PROTOCOLADAS: Destinação de Resíduos sólidos; Medalha Chico Mendes; Portal do Crescimento; Alteração de leis dos conselhos e fundos municipais de Habitação e interesse social.

Além da criação das leis, destaco a nossa participação nos conselhos municipais de Sáude, Direitos da Criança e do Adolescente municipal e estadual, Meio Ambiente, Conferência Municipal de Cultura, mas principalmente na Presidência da PRIMEIRA AUDIÊNCIA PÚBLICA sobre o Projeto IGUAÇU – Programa de combate as enchentes na Baixada Fluminense e a atividade de rua levando a conscientização da população sobre a Marceloimportância das mulheres fazerem o preventivo semestral, tanto como o exame do toque na mama.ESTRELA

Por que apóio Bismarck Alcântara para o Presidência do PT, no estado do Rio de Janeiro?

“É preciso que no Rio de Janeiro tenhamos um presidente comprometido com o PT, capaz de liderar nosso partido sem egocentrismo como outros que passaram pela presidência regional.

Por isso apóio BISMARCK – Presidente Estadual PT-RJ”.

26
out
09

Alfredo Barreto

Também foi entrevistado por Beatriz Grabois para o Politicando, o Secretário de Governo na Prefeitura de Cabo Frio, Alfredo Barreto.

Alfredo BarretoAlfredo Luiz da Rocha Barreto nasceu em 1953 e formou-se em História Natural.

Professor nas redes pública municipal e estadual de ensino, Alfredo Barreto já ocupou a presidência do Sindicato dos Profissionais da Educação. Também foi vereador no período de 1993 a 1996 pelo PT e atuou em 1998, como Coordenador de Educação do Estado da Baixada Litorânea I.

No ano de 2005 Alfredo Barreto foi subsecretário de Meio Ambiente de Cabo Frio e em 2007 tornou-se secretário de Agricultura.

Atualmente, Alfredo Barreto ocupa a secretaria de Governo na prefeitura da Alfredo Barreto cidade fluminense de Cabo Frio.

ESTRELA

Por que Alfredo Barreto apóia Bismarck Alcântara para a Presidência do PT – Rio de Janeiro no PED que acontecerá dia 22 de novembro?

“A decisão de apoiar Bismarck é consciente de que faço o melhor para a históra do nosso PT.

Precisamos com urgência resgatar nossas verdadeiras raízes.”

 

 

26
out
09

Antônio Neiva

Na última sexta feira, nomes como Antônio Neiva, Vladimir Palmeira, Rodrigo Neves, Godofredo Pinto, Ianê Germano e Chico D’angelo, entre muitos outros, participaram da gravação do Politicando, falando sobre sua vida, sua militância e sobre os novos rumos do PT a partir do PED em 22 de novembro.

Antônio Neiva foi o primeiro a ser entrevistado por Beatriz Grabois. Neiva

Antonio de Neiva Moreira Neto, ou simplesmente Neiva, nasceu no Rio de Janeiro em 1949, mas ainda muito pequeno foi para São Luis, no Maranhão, onde foi criado dentro de uma família com ativa participação na política maranhense (Neiva é sobrinho do deputado pedetista Neiva Moreira, figura importante na história política nacional).

Neiva iniciou sua militância no movimento estudantil de resistência à ditadura, em 1968, na Universidade de Brasília (UnB), onde ingressara para cursar engenharia. Nesse mesmo ano, foi preso pela primeira vez pela ditadura.

Ainda na UnB, entrou para a Ala Vermelha, uma organização clandestina da esquerda, dissidência do PCdoB. Na luta armada de resistência à ditadura, foi preso novamente, em São Paulo, de 1971 a 1972.Neiva

Após sair da cadeia, veio para o Rio de Janeiro e ingressou na Faculdade de Economia da UFRJ, onde se formou e cursou mestrado. Ainda na Ala Vermelha – que já havia revisto sua opção pela luta armada – participou da coordenação das campanhas parlamentares de Lisâneas Maciel, em 74, Antonio Carlos “Tunico”, em 76 e de Raimundo de Oliveira, em 78, todas candidaturas democráticas do velho MDB.

Neiva participou da fundação do PT no Rio de Janeiro, e da construção da tendência interna petista Força Socialista, originária, entre outras organizações, da Ala Vermelha. Em 1987, ajudou a montar a chapa petista que dirigiria o sindicato dos metalúrgicos do Rio de Janeiro e organizaria importantes greves, conquistando vitórias para a categoria.

Foi dirigente municipal e estadual do PT durante muitos anos, estando presente na coordenação das candidaturas majoritárias do partido no estado Neiva e na capital ao longo da década de 90.

Em 2002, foi o coordenador da candidatura vitoriosa de Lindberg Farias a deputado federal. Dois anos depois, coordenaria a também vitoriosa campanha de Lindberg à prefeitura de Nova Iguaçu.

É, desde o início do primeiro mandato de Lindberg à frente da prefeitura, seu articulador político. Esteve afastado apenas para coordenar a campanha de reeleição do atual prefeito de Nova Iguaçu, e, em 2006, a campanha ao governo do estado de Vladimir Plameira, com quem Neiva tem, no PT, uma longa história de militância conjunta.

ESTRELA

Por que Antônio Neiva apóia Bismarck Alcântara para a presidência do PT no Rio de Janeiro?

“É lutador e combatentente do povo. Um homem de palavra que vai rejuvenescer a direção do PT e comprometer o partido com causas que não têm sido contempladas pela atual direção.

Estamos com Bismarck 100%”




outubro 2017
D S T Q Q S S
« nov    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

CENAS DIÁRIAS